Escuta da Palavra

Texto de P. Alcides Marques, CP

Qual foi o Evangelho do último domingo? Você se lembra? Faça um esforço, mas sem pesquisar. E o Evangelho do domingo anterior? Lembrou? Tente mais um pouquinho? Se você se lembrou, é porque tem uma ótima memória. Mas tenho quase certeza que a maioria não se lembra. O que isso revela? Que nós católicos não prestamos atenção na Palavra? Que o sistema de som de nossas Igrejas não é bom? Que os leitores não sabem ler ou usar o microfone? Pode ser tudo isso, assim como pode não ser nada disso. Eu não tenho o costume de ficar perguntando para as pessoas qual foi o Evangelho do último domingo e vou explicar a razão.

Antes de tudo, gostaria de ressaltar que partilho da ideia de que nós católicos não prestamos muita atenção na Palavra. Não é nosso forte. Infelizmente. Uma pena.

Escolhemos leitores sem muito critério. Os mesmos nem sempre se preparam para a leitura. A Palavra não é proclamada, mas lida como se lê uma receita de bolo ou uma notícia de jornal. A nossa missa está quase que concentrada na Eucaristia, como um momento isolado. O momento da Palavra é como se fosse um acessório. A primeira coisa que precisamos fazer é colocar a Palavra no seu devido lugar. A verdadeira solução não vem da melhora do som, da substituição dos folhetos ou do aplauso da Bíblia. A solução vem da melhora da qualidade de nosso envolvimento com a Palavra. Depende das pessoas, inclusive dos padres.

Respondendo a pergunta acima: porque o importante não é o que fica na memória.  É isso mesmo! O que importa diante da Palavra não é que você se lembre do que foi dito há uma semana, duas ou três atrás. O importante é a Palavra AGORA. A questão não é a memória, mas o coração, o ser da pessoa.  A Bíblia fala que a Palavra deve ser “comida” (Ap 10,8-10). Na liturgia, falamos do pão da Palavra e do pão eucarístico. Precisamos pensar na Palavra (de Deus) como alimento. E alimento é para ser comido. Não é preciso que você se lembre do que comeu, é preciso que você coma! O alimento (físico) vai te sustentar e fortalecer para que você possa viver. Então, é desse mesmo jeito que devemos entender a Palavra. Ninguém precisa ficar se lembrando do que foi lido na semana passada.

Faça esta experiência: no momento em que você estiver escutando a Palavra (mais as leituras do que as homilias), procure escutar com o coração, diga interiormente “sim” aos ensinamentos mais importantes, diga interiormente que aceita a Palavra, mesmo que ela esteja incomodando. Isto é comer a Palavra. Ao final da missa, faça o contrário do que muita gente diz: faça o propósito de se esquecer da Palavra, exatamente porque a mesma já esta gravada em seu coração. Como o seu propósito é esquecer, provavelmente você vai se lembrar, o que é ótimo! A Palavra de Deus é para atingir o ser da pessoa, o seu interior. Quando isso acontece, você vai fazer a experiência de estar sempre alimentado (a) pela Palavra, sobretudo nos momentos mais difíceis da vida. Eu não quero que você se lembre do Evangelho do último domingo, eu quero que você se alimente da Palavra em cada momento que estiver diante da Mesma. Depois, pode até esquecer.