Palavra de Deus e Lei de Deus

09/12/2019

Texto de P. Mauro Odorissio, CP

No início da história dos judeus é dito que Deus primeiro libertou o povo e só então lhe propôs especial aliança. Jamais se afirmará sobejamente que aliança, testamento, casamento, são sinônimos. Com esta afirmação fica claro que o Primeiro Testamento relata a caminhada do povo judeu como tal, mas aberta ao Novo Testamento que é a complementação e o ápice daquele. O objetivo final de Deus é o bem de toda a humanidade.  Com a Nova Aliança, por sinal, a definitiva, cessa a que fora transitória, sinal. Leia Mais

Batismo em nome do Senhor

23/11/2019

Texto de P. Mauro Odorissio, CP

Desde sempre a água foi tida como portadora de sublimes mensagens.

Durante muito tempo a humanidade se viu forçada a não se afastar dela para poder viver. Os grupos humanos se condensavam à beira dos rios, da fontes. Conseguiram se afastar deles quando descobriram que era possível  encontra-las ou escavando poços, ou conseguindo-a por meio de aquedutos cujas ruínas romanas que atravessam enormes descampados e longas distâncias são motivos de admiração. Leia Mais

Cristo na Bíblia

20/11/2019

Texto de P. Mauro Odorissio, CP

Quando o primeiro ser humano pecou, a obra da criação ficou comprometida. O pecado, mais que uma desobediência, foi e continua sendo uma opção de auto-suficiência perante Deus. Com isso, o ser humano ficou excluído da comunhão com o Criador: Gn 3,6-11. Surge, daqui uma série de desencontros: o conjugal (Gn 3,12), o fraternal (Gn 4,3-11), o social: Gn 11,1-9. A humanidade se perverte: Gn 6,5ss. Há ruptura até entre o ser humano e o mundo: Gn 3,13-19. Ele se vê dividido em si mesmo: Tm 7,18-20. O Criador, nesse cataclismo, promete alguém que restauraria a ordem perturbada: Gn 3,14-15. Seria o anunciado Restaurador.

Povos usavam oferecer as primícias aos deuses. Não excluíam os primogênitos humanos que pertenceriam às divindades. Compreende-se como Abraão, entre os cananeus, estivesse pronto a imolar Isaac, o filho único (tipo): Gn 22,1ss. Os judeus não admitiam essa prática: dispunham do sacrifício de substituição ou de resgate (Nm 18,15) que livraria Jesus de ser imolado: Lc 2,22ss. Mas, como antítipos, o Pai Eterno não deixou de sacrificar o Filho Unigênito: Rm 8,32. Assim Jesus começou a ser anunciado pelas Escrituras. Leia Mais

Ácribós = Acuradamente

03/11/2018

Texto de Pe. Mauro Odorissio, CP

Antes de iniciar propriamente o texto do seu Evangelho, em linguagem acurada, elegante e demonstrando estar livre das fontes que usará no corpo do seu livro, Lucas escreve que investigou tudo “acuradamente”: “ácribós” em grego (Lc 1,14). A partir de Lc 1,5ss, o texto original cai de qualidade. É sinal que o Autor se adaptou, foi fiel às fontes que tinha em mãos.

Não pretendo abordar a árdua, mas interessante questão. Apenas adianto que, a partir da primeira semana de dezembro, iniciaremos o chamado Ano Litúrgico C, quando se usará preponderantemente, na liturgia, o texto do IIIº Evangelho. É importante, então, que dediquemos uns instantes de reflexão para que o texto sagrado seja melhor e mais aprofundadamente acolhido, de modo especial durante o ano litúrgico prestes a começar. Leia Mais

Ensina-nos… E assim teremos um coração sábio

26/05/2018

Texto de P. Mauro Odorissio, CP

Em si, o provérbio é um tratado que, em poucas palavras, condensa grande sabedoria. Assim alguém, dotado de argúcia, leu a natureza e a sintetizou na breve sentença: “natura non facit saltum” (a natureza não dá salto). Realmente, as leis que a regem são suaves, embora nem sempre facilmente entendidas. Foi o que senti, no início deste dia, ao recitar o Sl 90[89]. No versículo 12 está a súplica que encabeça este artigo. Pode parecer esdrúxulo, mas o mundo que de per si é harmonia (kosmos), como há milênios chamaram-no os pensadores gregos, precisa de pessoas que tenham corações sábios. Leia Mais

O Deus escondido

01/03/2018

Texto de P. Mauro Odorissio, CP

Dando continuidade ao que se considerou em “No início era a Palavra”, é de afirmarmos, de antemão que, em si, Deus é inacessível. Contudo, ele toma a iniciativa e vem aos humanos das mais variegadas maneiras. Por isso o Profeta nos diz que ele é o Deus escondido (Is 45,15), mas que se revela.

O versículo apresenta vários desafios, mas de maneira geral afirma que, da sua inacessibilidade, ele se achega salvificamente ao ser humano. Trata-se de Deus que se esconde e se revela ao mesmo tempo, como fazia pela coluna de nuvem que o ocultava e que, ao mesmo tempo, mostrava estar presente como guia (Ex 13,21-22). O ponto alto de Deus revelar-se e ao mesmo tempo ocultar-se, se deu em Cristo que assumiu corpo como os demais mortais escondendo sua origem divina. Leia Mais

No início era a Palavra

23/02/2018

Texto de P. Mauro Odorissio, CP

O objetivo de nossa consideração é refletir a Palavra de Deus, o grande dom celestial concedido à humanidade. Eu vibro ante o esforço do poeta ao compor o Sl 119 (118), exaltando a mensagem divina. Em esforço verdadeiramente hercúleo e desafiador de santo e de poeta, ele compõe a referida poesia com 22 estrofes (número das letras do alfabeto hebraico), cada uma delas composta com oito versos. Leia Mais

Quaresma à vista

07/02/2018

Texto de P. Mauro Odoríssio, CP

Entre os mais de cem artigos que publiquei por meio desta página paroquial, este é, no mínimo, o segundo que versa sobre a Quaresma. Esta deve ser tempo forte na vida espiritual da comunidade e de cada um. Isto não acontecendo, deixa-se de construir a tenda preconizada pelo Apóstolo (Mt 17,4). No caso, precisaríamos destruir o barraco circense de vida religiosa ilusória, enganadora. Leia Mais

São João Batista

01/07/2017

Texto de Pe. Mauro Odoríssio, CP

Sob a iluminação da festividade de hoje, Natividade de S. João Batista, teço as breves considerações que seguem. Sei que muitos comemorarão o Santo na celebração litúrgica, outros em festividades populares.  Reservo momentos para partilhar com os dedicados leitores os textos proporcionados pela liturgia.

Refletia com os irmãos, na Celebração Eucarística, que tudo e todos trazemos conotações “protológicas” e “escatológicas”, quero dizer, até mesmo as coisas que existem, antes de existirem, foram projetadas e no projeto, receberam determinada finalidade. Então, no presente, descobrimos um passado e um futuro significativos. A exequibilidade de tal projeto faz com que a coisa criada seja, ou não, boa. Leia Mais

Vida Eterna

16/06/2017

Texto de P. Mauro Odorissio, CP

Tudo aconteceu após almoço entre amigos, quando fiquei conhecendo algumas pessoas. O clima era descontraído e se passou a falar sobre a “Vida Eterna”. Alguém, então, como que para aquecer o debate ou para fazer “leve provocação”, afirmou: “eu não creio nisto, não”.

Meio incontidamente, e com o meu quase sempre incontrolável instinto polêmico, entre rindo e com um mínimo de veneno, rebati prontamente: “que bom! Assim o céu não ficará avacalhado e o inferno piorado!” Leia Mais