MENSAGENS DO PAPA


A quaresma é o tempo para reencontrar a rota da vida

HOMILIA DO PAPA FRANCISCO na missa de quarta-feira de cinzas, do dia 06/03/2019, na Basílica de Santa Sabina. «Tocai a trombeta em Sião, ordenai um jejum» (Jl 2, 15): diz o profeta na primeira Leitura. A Quaresma abre-se com um som estridente: o som duma trombeta que não afaga os ouvidos, mas proclama um jejum. É um som intenso, que pretende abrandar o ritmo da nossa vida, sempre dominada pela pressa, mas muitas vezes não sabe bem para onde vai. É um apelo a deter-se – um “parar!” para ir ao essencial, a jejuar do supérfluo que distrai. É um…
LEIA MAIS

O seu manto está sempre aberto para nos acolher

HOMILIA DO PAPA FRANCISCO por ocasião da festa da trasladação do ícone mariano da "salus populi romani" - Basílica de Santa Maria Maior Domingo, 28 de janeiro de 2018 Recorremos, procuramos refúgio. Os nossos pais na fé ensinaram-nos que, nos momentos turbulentos, é preciso acolhermo-nos sob o manto da Santa Mãe de Deus. Outrora os perseguidos e os necessitados procuravam refúgio junto das mulheres nobres da alta sociedade: quando o seu manto, que era considerado inviolável, se estendia em sinal de acolhimento, a proteção era concedida. O mesmo, fazemos nós em relação a Nossa Senhora, a mulher mais excelsa do género…
LEIA MAIS

Extremismo da caridade

Parte da homilia feita na celebração eucarística realizada na cidade do Cairo (Egito) – 29/04/2017 O Ressuscitado desaparece da vista deles, para nos ensinar que não podemos reter Jesus na sua visibilidade histórica: «Felizes os que creem sem terem visto!» (Jo 21, 29; cf. 20, 17). A Igreja deve saber e acreditar que Ele está vivo com ela e vivifica-a na Eucaristia, na Sagrada Escritura e nos Sacramentos. Os discípulos de Emaús compreenderam isto e voltaram a Jerusalém para partilhar com os outros a sua experiência: «Vimos o Senhor... Sim, verdadeiramente ressuscitou!» (cf. Lc 24, 32). A experiência dos discípulos de Emaús ensina-nos…
LEIA MAIS

Deixar-se misericordiar

Meditação do papa Francisco por ocasião do retiro espiritual do jubileu dos sacerdotes. Ano Santo da Misericórdia 02/06/2016 Na Igreja tivemos, e temos, tantas coisas não muito boas, e muitos pecados, mas nisto de servir os pobres com obras de misericórdia, como Igreja sempre seguimos o Espírito, tendo-o feito os nossos Santos de maneira muito criativa e eficaz. O amor pelos pobres é o sinal, a luz que faz com que as pessoas glorifiquem o Pai. É isto que o nosso povo aprecia no padre: se cuida dos pobres, dos doentes, se perdoa os pecadores, ensina e corrige com paciência...…
LEIA MAIS

Que eu veja de novo

Homilia do papa Francisco, na Basílica Vaticana, dia 04 de março de 2016, numa Celebração Penitencial. «Que eu veja de novo» (Mc 10, 51): este é o pedido que queremos fazer hoje ao Senhor. Ver de novo, depois de os nossos pecados nos terem feito perder de vista o bem e desviar da beleza da nossa vocação, levando-nos a vagar longe da meta. Este trecho do Evangelho possui um grande valor simbólico, porque cada um de nós se encontra na situação de Bartimeu. A sua cegueira levara-o à pobreza e a viver na periferia da cidade, dependendo em tudo dos…
LEIA MAIS
TODAS AS MENSAGENS